Cálculo mental – Vamos treinar nosso cérebro?

Cálculo mental.

Vamos treinar o cérebro?
            Houve um tempo em que os professores, depois de ensinar aos educandos o reconhecimento e escrita dos números em algarismos arábicos, lhes ensinavam as quatro operações fundamentais. Logo em seguida eram feitas sessões de Cálculo mental. Como se faz isso? Certamente haverá quem pergunte. Com certeza que a primeira forma de cálculo mental é a memorização da tabuada. Nesse processo se utilizam recursos de contar nos dedos, contar os elementos de vários conjuntos iguais e outras formas encontradas pela criatividade dos mestres. Lembro meu professor primário nos fazia, em um dia determinado, recitar a tabuada desde o 1×1 até o 10×10, durante a formatura e entrada para as aulas depois do recreio. Era multi-seriado e todos entravam na roda. Os menores iam apredendo meio que na marra. 
        Uma vez consolidado minimamente o conhecimento da tabuada, pode-se iniciar alguma coisa de cálculo mental. Inicia-se por perguntar de modo salteado os produtos de dois números. A recitação da tabuada de modo sequencial, leva ao chamado decoreba. Isso serve num primeiro momento, mas depois começa a ficar fundamental lembrar como por exemplo:
        Quanto é 3 x 5 = ……..
                        5 x 4 = ……..
        Assim sucessivamente. Por que é importante saber os produtos de números de um algarismo entre si? Imaginaram fazer a multiplicação de um número com três algarismos por um outro de um ou dois algarismos e ser obrigado a recorrer a uma folha de papel localizando ali os resultados das multiplicações parciais? Isso tornaria o processo algo bem demorado e complicado. Estou até ouvindo muita gente dizer: Já inventaram a calculadora há tempo. Não precisa mais disso. Se o objetivo for apenas saber o resultado, concordo. 
        Eu sei que a calculadora dá o resultado bem depressa e correto, desde que sejam digitados os números e sinais de operações corretamente. Basta esbarrar em uma tecla errada e poderá ver estragada a operação, sendo preciso recomeçar.
        Não é só isso. Nosso cérebro é como um músculo. Quanto menos é usado, mais ele atrofia. Verdade. Quanto mais você exercita o raciocínio, mais habilidade adquire. Lembro que, aos 6/7 anos comecei a vida escolar e aprendi os números. Em um momento dessa época, minha mente associou uma espécie de “escada”, mas não reta. Talvez melhor uma cerca com os palanques espaçados de distâncias iguais. Mais tarde isso veio ser confirmado com a tal reta numérica, associada aos números naturais, depois inteiros, reais e por aí vai. O uso da memória é muito mais questão de treino do que de capacidade natural. Há quem seja naturalmente bem dotado, mas mesmo os demais, podem exercitar e alcançar um excelente desempenho.
        Como se pode fazer cálculos mentais? Temos que começar com os mais fáceis e aos poucos aumentar a complexidade. Vejamos como exemplo a soma de dois números:
                               27 + 44 
        O habitual é escrever um embaixo do outro e somar, mas para isso precisamos ter papel e lápis ou caneta. Mentalmente podemos fazer essa soma em partes. O número pode ser decomposto nas suas unidades e dezenas:               27 = 20 + 7
                                                        44 = 40  + 4
        Somando as dezenas vamos ter:  20 + 40  = 60
        Somando as unidades, temos:        7 + 4  = 11
        Agora é juntar os dois: 60 + 11 = 71.
     &nbsp
;  A vantagem é que isso, com o treino pode ser feito em um ou dois segundos. Muito menos tempo do que você gastaria até localizar a calculadora em seu celular, abri-la no computador e digitar os números. De quebra ainda ganha maior desenvoltura de raciocínio, até mesmo a admiração dos outros, embora esse não deva ser o principal motivo.  Aos poucos, você pode fazer essas operações em escala mais avançada. Separa os números em suas unidades, dezenas, centenas, milhares e assim por diante. Na prática é o que fazemos no papel, apenas usamos a memória para guardar as partes que vamos somando e juntamos tudo no final.
        Vejamos um caso de multiplicação:
                               37 x 8 =
        O número 37 pode ser decomposto em 30 + 7.
        O 30 x 8 = 240 (3.8, acrescido de um zero)
        O 7 x 8  = 56. Agora basta somar 240 + 56 = 296.
        Comece com casos simples e aos poucos, quando a confiança aume- tar, aumente a dificuldade das operações. Ninguém se torna um campeão de velocidade de um momento para outro. É preciso muito treino. Se você quer alcançar mais desenvoltura em matemática e mesmo em outras áreas, comece por treinar cálculos mentais. Podem ser feitos inclusive durante a malhação dos músculos. Os neurônios do raciocínio são independentes dos que comandam a musculatura corporal.
        Só se pode fazer somas e multiplicações dessa maneira? Não. Todas as operações podem ser feitas, pelo menos até certo grau de complexidade, apenas com o uso da memória e raciocínio, sem gastar nem lápis, caneta ou papel. Essas contas te ajudam a conferir ou mesmo saber de imediato o troco que tem que dar ou receber no momento do pagamento ou recebimento de um determinado valor de certa mercadoria.

        Você só vai saber a diferença se puser essas ideias em prática. Sem isso, nada acontece e o cérebro fica preguiçoso, isso mesmo. Eu lanço o desafio a quem estiver disposto a tentar. Só depende de você. Eu não posso exercitar a mente em seu lugar, assim como ninguém pode “malhar” no lugar de outro. Isso não é terceirizável. 

8 ideias sobre “Cálculo mental – Vamos treinar nosso cérebro?

  1. Amcguedes Guedes

    Olá, Décio
    Boa noite.
    É uma forma de exercitar que eu acho muito boa. Não gosto muito de calculadora mas é a coisa da vida corrida… o “ganhar tempo” e perder na qualidade.Gostei muito do seu post.
    Abraços
    Lúcia

    Responder
    1. Décio Adams

      Se intenção de fazer campanha contra as calculadoras. O que defendo é o exercício da mente para aumentar desempenho, dar noção dos valores que se pode esperar de uma operação matemática.

      Responder
    2. Décio Adams Autor do post

      O maior problema nos dias atuais é o “medo” de usar o cérebro. Até dá impressão de que vai gastar. Ao contrário, o uso mais intenso melhora sempre mais o desempenho, permitindo que cheguemos a idades avançadas com a mente lúcida e funcionando até os últimos segundos de vida. Acho que essa deveria ser a maior preocupação do ser humano. [

      Responder
  2. barbaea fernanda

    Boa noite! Décio Adams
    gostaria de saber se tem alguns altores específicos que escreveram algum livro sobre calculo mental, pois tenho que fazer um pesquisa e ainda não encontrei nada concreto , o seu post esta bem explicado gostei muito mais eu preciso é de essência de como surgiu quem inventou coisas assim …

    Responder
    1. Décio Adams Autor do post

      Boa tarde, Bárbara!
      Eu lamento não dispor de nomes de autores que tenham escrito sobre esse assunto especificamente. O que eu sei é baseado na experiência pessoal principalmente. Lembro de minha sogra, nascida na Argentina, que falava sobre essa prática usada em escolas no país vizinho, no tempo de sua infância. Havia um momento das atividades, dedicado a essa prática. Eu vou ver se encontro algo na internet, talvez variando as palavras de pesquisa. O que posso te afirmar sem sombra de dúvida, que o fundamento desse “cálculo mental” é o intenso treino. Nosso cérebro, é semelhante a um músculo, ou mesmo uma articulação que pode ser treinada a executar movimentos impensáveis para as pessoas comuns.
      Quando criei essa página e publiquei algumas coisas a respeito, tinha a intenção de provocar um movimento em torno do assunto, mas nao houve uma resposta. Parece que a “preguiça mental” tomou conta da imensa maioria da população. Devem pensar que “usar” o cérebro provoca desgaste, quando ao contrário, ele só melhora com o treinamento.
      Coloco-me à disposição para discutirmos alguns pontos, dentro da linha de sua pesquisa. Não sei se é um TCC ou simples trabalho de sala de aulas, mas, independente do que seja, o assunto me interessa sobremaneira. Cheguei a desenvolver uma razoável capacidade de realizar cálculos mentalmente, surpreendendo seguidamente as pessoas com a velocidade da resposta a operações matemáticas.
      À sua disposição.

      Décio Adams.

      Responder
  3. Luiz Junior

    Boa noite Décio Adams…
    Primeiramente quero dizer que fiquei muito admirado sobre sua historia de vida e trajetória, isso me trouxe a reflexões e mais motivação. Acredito que também a outras pessoas.
    Parabéns você é um guerreiro…

    Quanto ao cálculo mental para exercitar a mente achei formidável, um chute inicial que abre portas para a imaginação, mê ajudou muito, é simples, básico e preciso…
    Muito obrigado…

    Responder
    1. decioadams Autor do post

      A nossa história de vida é escrita a cada dia, cada hora, cada minuto. Deus nos dá forças para superar as dificuldades e nos tornar produtivos no dia a dia.
      Quanto ao desenvolvimento de nossa mente, especialmente no tocante ao cálculo mental, é uma questão de capacidade por um lado e por outro especialmente de dedicação, esforço e vontade.
      Estou às ordens para o que puder ser de alguma utilidade.
      Décio Adams.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *