Arquivo mensais:setembro 2015

Fantástico mundo novo! – Capítulo II – Reencontro com Arki.

 

  1. Reencontro com Arki.

 

O dia demorou a passar para Minck. Ajudou a mãe a limpar os espaços ao redor da casa. Varreu os ciscos e folhas mortas caídas, colocando tudo sobre um pequeno monte num canto. Depois de apodrecerem serviriam para fazer crescer alguns temperos que a mãe cultivava em um pequeno canteiro ao lado da casa. Carregou água para limpar o chão de pedras, bastante gastas pelo uso, deixando tudo limpo e brilhando. Nem Muhn sabia exatamente o que dizer da atitude de Minck. As irmãs cochichavam entre elas a respeito, mas nada diziam em voz alta. Apenas davam algumas risadinhas, disfarçando suas atitudes da melhor maneira possível.

Continue lendo

Fantástico mundo novo (?) – Capítulo I – O menino e a estrela.

Fantástico mundo novo!

 

                   Décio Adams

  1. O menino e a estrela!

 

Um menino, filho caçula de uma família numerosa, vivia ao sul da Ásia, em um tempo perdido nas brumas da história. Era um pouco franzino para seus 10 anos, se comparado aos irmãos, um pouco mais velhos e bem robustos. Isso lhe valia ser tratado por eles com algum desdém. Por isso sentia-se muito triste. Sempre que podia se esgueirava para o alto de um grande penhasco, localizada perto de sua casa. Dali observava o horizonte distante, o mar visível se encurvando lá longe, encostando no céu azul. Gostava de assistir à revoada das gaivotas e os navios que apontavam lá bem distante. Iam crescendo, crescendo e ficavam imensos aos olhos ávidos do menino, até atracarem no porto próximo. Quando ali estava à noite, olhava demoradamente as estrelas, mais insistentemente aquelas que podia ver sem levantar a cabeça. Isso lhe dava dor no pescoço e uma vez quase perdera o equilíbrio. Se caísse ali de cima, poderia se machucar seriamente. Se já era menosprezado pelos irmãos assim, imagine se ele sofresse a queda, com algum osso quebrado! Seria o fim. Não queria dar desgosto à mãe, nem ao pai, que sempre o tratavam com carinho e recriminavam os irmãos, quando estes o maltratavam.

Continue lendo

Na senda dos monges! – Volume II – Capitulo 05 – Conflitos Crescentes.

  1. Conflitos crescentes.

 

A iminência da execução do trecho de ferrovia, trouxe para a região interessados em estabelecer pequenos estabelecimentos comerciais. Toda obra de grande porte, provoca um surto de desenvolvimento na região afetada. Não faltam pessoas interessadas em se estabelecer para progredir honestamente, nem tampouco os que buscam apenas formas de enriquecimento rápido, não se importando com os meios necessários para tanto. Isso fez surgir, nos primeiros anos do século XX, no vale do Rio do Peixe, um grande número de pequenos estabelecimentos, dedicados às mais variadas atividades de comércio e serviços. A princípio eram pequenos, incipientes, os preços cobrados costumavam ser elevados, mas os moradores acabavam por recorrer a eles, pois assim evitavam deslocamentos até lugares mais distantes. Economizavam tempo precioso, mais necessário no trabalho de suas atividades produtivas.

Continue lendo