Prefácios dos meus romances.

Este é o prefácio escrito por Carlos Afonso Schmitt para o meu primeiro romance “A saga da família Cruz”, em três volumes.

Prefácio
Escrever um Prefácio para um livro é como dar as boas-vindas aos leitores.
Faço-o com alegria, porque sei que os leitores que aqui chegarem, sentir-se-ão em casa ao desfrutarem da convivência dos personagens que compõem esta saga. Faço-o com orgulho, pois, há 50 anos, tive o prazer de ser professor deste inteligente discípulo – Décio Adams – autor dessa bem traça-da e surpreendente história da família Cruz.
Amores e desamores, sonhos e frustrações, conquistas e desafios nos primórdios de nossa colonização sulina pervadem as deliciosas páginas deste romance. E se você conhece essas paragens riograndenses – ou delas ouviu falar em suas leituras – sentir-se-á viajando com a fértil imaginação com que o Décio maravilhosamente as descreve nos seus mínimos detalhes.

Um conto que virou outro conto, com mais um ponto e outro ponto, e nasceu um romance: uma saga, uma incrível história de vida de uma família que poderia ser Silva, Adams ou Schmitt. Ou a sua, que certamente também tem percalços e sacrifícios, sucessos e vitórias que mereceriam ser contadas.
Parabéns, Décio! Parabéns, leitor!
Sacie sua sede de ler, que aqui tem água em abundância.
Carlos Afonso Schmitt
Terapeuta Holístico e Escritor
Três de Maio, RS, fevereiro de 2014.



Este é o prefácio escrito pela Prof.ª Terezinha Pazdiora Demoliner para o meu segundo romance “Um veterinário judeu nos pampas” publicado em três volumes. 

Prefácio
A pretensão da obra é oferecer aos leitores um trabalho instrutivo, divertido e leve para contribuir com o seu lazer e por que não dizer, conhecer mais detalhada-mente alguns aspectos culturais do povo judeu que apesar de tudo se manteve unido e mantem suas tradições até os dias atuais.
A história dos judeus na Polônia é muito antiga, sendo que as datas de imigração judaica não são muito bem conhecidas sendo somente estimadas. É dito, e confirmado por dados históricos, que houve a chegada de judeus na Polônia pelos séculos XI, XII e XIII, sendo que os principais motivos foram as cruzadas e a perseguição aos judeus que ocorria na Boemia. Outro motivo importante foi o trata-mento relativamente bom da Polônia para com os habitantes de fé judaica, tendo como base, a partir de 1264, a permissão de os judeus terem terras, negócios e liberdade de culto.
Um veterinário judeu nos pampas pretendemostrar a longa peregrinação pelo mundo da família Abrahamowski, sua fuga de Varsóvia para Leipzig e a convivência com diferentes costumes e culturas que deixaram marcas e resultaram em novas habilidades. É o caso de um veterinário, dedicado a lidar com grandes animais como cavalos, bois e outros, fato incomum na época. Porém, como bom apren-diz e com inteligência aguçada não teve dificuldades em agregar novos conhecimentos e adquiriu habilidades, desta-cando-se entre os demais. Com a perda de seus pais, Josef Abrahamowski aventurou-se numa viagem para o continen-te americano, mais precisamente para o Brasil. Como foi a recepção ao Josef? Quais foram suas dificuldades? As respos-tas você encontrará, lendo o livro.
Boa leitura.

Terezinha Pazdiora Demoliner.







Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *