Existe vida após a morte? (Reflexões sobre o Livro de Urantia).

Existe vida após a morte?

Vida após a morte

Vida após a morte! Uma eterna jornada rumo à Ilha do Paraíso.

Essa questão resume, em grande parte, as dúvidas de muitas pessoas durante a vida. É possível chegar a um acordo, minimamente aceitável, tomando a filosofia como base para estabelecer aos valores éticos e morais que norteiam a vida em comunidade, aceitar o término da vida sobre a Terra, como o fim de tudo. Mas é bem frustrante pensar dessa forma. Tanta luta, sacrifício, abnegação e reuncia, para terminar em um punhado de pó ou cinzas, em caso de cremação do corpo.

Por outro lado, nosso pensamento lógico, baseia-se sempre em um sistema de recompensa. O que eu ganho se eu cumprir todas as normas e regras, sem transgredir? Se a resposta for “nada”, ficamos, pelo menos, pouco satisfeitos. Se a pergunta for: O que eu perco se transgredir todas as normas e regras? Se a resposta for: “você vai para a prisão”, é possível ter alguma esperança de sair de lá, voltar a transgredir e ser esperto o bastante para não se pego em flagrante novamente.

Será que a coisa é tão simples assim? Não há nenhuma perspectiva para nos estimular na caminhada? Literalmente nadaremos, nadar e morrer na praia?

As religiões, ao longo da história, criaram e aperfeiçoaram diversos códigos de conduta. Alguns deles evoluíram outros ficaram estagnados no tempo, ao ponto de se tornarem completamente obsoletos, sem o menor sentido. Os governantes, os juristas e legisladores se esforçam em criar leis e códigos civis, cada vez mais complexos. Com isso, a atividade jurídica também cresce em complexidade e nem por isso fica mais eficiente em punir os transgressores. Por sinal, a eficiência parece decrescer em proporção com o crescimento da complexidade.

O que tem tudo isso a ver com a vida após a morte? Em quase todas as religiões temos alguma promessa de recompensa pós-morte e isso exige que a nossa morte física, seja apenas a mudança do mundo material para algo diferente. Podemos chamá-lo de espiritual ou sobrenatural. Temos aí as várias denominações como Céu, Paraíso, Nirvana ou outras para o local onde receberemos a recompensa. Para os transgressores, os descumpridores das normas ou regras de conduta, existe o que comumente é chamado inferno. Há variações de uma crença para outra, mas o geral é isso. O Espiritismo Kardecista, crê na reencarnação, o que significa o retorno de nosso espírito, para o corpo de uma criança nascitura, recomeçando novo ciclo de vida, a partir do zero. Voltar sem a memória das experiências de vida (s) passada (s). Já entre os orientais, existe uma crença semelhante, porém ligeiramente diferente. Acreditam os budistas e outros no que se chama de transmigração. É uma possibilidade de a alma passar por estágios no corpo de animais, plantas e mesmo objetos inanimados, purgando os erros cometidos, buscando o aperfeiçoamento espiritual, que levaria finalmente ao nirvana ou paraíso. O Islã crê em coisas semelhantes, incluindo algumas variações características.

Urantia book

O Livro de Urantia. Possível 5ª revelação de época recebida no planeta.

Existe disponível, em vários sites da Internet, um texto, considerado por um grande grupo de pessoas, como uma Revelação de Época (a 5ª na história), denominado O Livro de Urantia. Além de fazer uma ampla explanação a respeito de Deus, o Pai Universal, o Filho Eterno e o Espírito Eterno. Isto é, a Trindade do Paraíso e interessantes narrativas cosmológicas. É uma leitura longa e complexa, principalmente na parte em que fala de Deus e suas diversas manifestações.

Segundo esse texto, nosso planeta Terra, no cosmos tem o nome de Urantia. Pertence ao sistema de Satânia, na constelação de Norlatiadeque. Esta é uma entre as 100 constelações do universo local, Nébadon, que por sua vez é um dos integrantes do Superuniverso de Orvônton. Esse universo de Nébadon, é governado por um Filho Criador, ou Michael, que é responsável pela sua criação e planejamento. Portanto, somos suas criaturas.  Por extensão, somos também criaturas do Pai Universal, talvez seus netos ou bisnetos. Existem sete desses Superuniversos, circundando o Universo Havona existente em torno da Ilha Eterna do Paraíso. Um super-resumo para chegar ao ponto que tenho em mente.

Desde que surgimos no planeta Urantia, passou-se 1(hum) milhão de anos. Num dado momento da evolução animal, um casal de primatas gerou filhos gêmeos, com um verdadeiro “salto” evolucionário. Era um casal e tinham capacidade de desenvolver o uso da linguagem falada, capacidade que os pais e irmãos não dispunham. Tal diferença criou um clima de animosidade por parte do clã, levando os dois, denominados Andon e Fonta, a se afastar do grupo. Formaram o primeiro núcleo de humanos na Terra. Com a idade de cinco ou seis anos, foram capazes de tomar uma decisão moral e nesse momento o Pai Universal enviou um fragmento de sua própria essência divina, que é chamado de Ajustador do Pensamento, Monitor Misterioso, Centelha de Vida. Sua função é residir na mente material do ser humano como uma espécie de bússola a guiar seus passos no caminho da eternidade. Entretanto, não dispõe de poder para influir ou forçar o ser residido a seguir o caminho indicado. Todos os atos são ditados pelo livre arbítrio do ser volitivo. Se o ser humano tomar, por sua livre escolha, a decisão de fazer a vontade do Pai Universal, ou seja, Deus, nasce o que denominamos alma. Esta se desenvolve gradualmente, à medida que cresce o ajustamento com a vontade do Pai. Nossa alma não vem pronta. Ela é o resultado da integração entre a mente material, que provém da Ministra Divina, cuja origem é o Espírito Eterno da Trindade, e o Ajustador que vem do Pai Universal.

Isso vem significar que, a existência de vida após a morte ou não, passa a ser uma questão de escolha de cada um dos seres que vivem sobre a terra. Ao deixarmos a vida material, podem acontecer duas coisas. Se tivermos rejeitado fazer a vontade do Pai, o Ajustador retorna para Divínington, esfera dos mundos de Havona e leva com ele toda a experiência de valor que o humano teve. É uma espécie de back-up da mente material. Se nada for encontrado com valor de sobrevivência, esse humano será simplesmente extinto, isto é, voltará ao nada. O seu corpo volta ao pó, ou seja, se decompõe e transforma em seus elementos componentes.

Por outro lado, o humano que decidiu livremente seguir a orientação do Ajustador, ficará inconsciente, num local denominado Mundo das Mansões. No momento aprazado, seu corpo será reconstruído, de uma matéria chamada “matéria moroncial”. Ao seu lado estarão a dupla de Serafins guardiães do destino e o Ajustador. Os primeiros terão guardado para esse momento a personalidade e a mente ou talvez a alma nascente do ser humano, enquanto o segundo terá em seu poder toda memória. Dessa forma haverá a ressurreição, nesse mundo, diferente do mundo material. Terá início uma longa aventura evolutiva através de muitas etapas, onde gradativamente nos transformaremos de seres materiais em seres espirituais. O final dessa carreira no Mundo das Mansões, ocorre no momento em que atingirmos o fusionamento com o Ajustador do Pensamento. Essa partícula é espiritual, mas pré-pessoal. Seu objetivo primordial é o fusionamento com o humano evolutivo, dotado de vontade, com livre arbítrio. Tornamo-nos totalmente espirituais e não mais será possível diferenciar o Ajustador e o ser humano. Serão eternamente um, começando dali para a frente, uma nova jornada de evolução espiritual até alcançar um dia a Ilha do Paraíso. Quando isto acontecer, seremos abraçados pelo Pai Universal. No processo de fusionamento, o Ajustador ganha a personalidade e o humano ganha a espiritualidade. Aí parece residir o motivo de lermos nas escrituras, em determinada passagem, “vós sois deuses”. É que em nossa mente carregamos uma partícula, um fragmento do próprio Pai Universal. Essa partícula é Deus. Ele assim adquire, por nosso intermédio, a factualidade experiencial. O Pai Universal, em sua infinitude e plenitude, sofre de limitações do ponto de vista experiencial. Eis aí a razão de ele iniciar a infinita aventura de criação e evolução do Universo e suas divisões, setores, mundos em quantidade sempre crescente.

Não existe, de acordo com essa “revelação”, o chamado “sono eterno”, ou então “descanso eterno”. Quem pensa na morte com a esperança de viver na “moleza”, não fazer mais nada, está redondamente enganado. Se sobrevivermos, por nossa escolha, à vida material na carne, teremos pela frente um caminho muito longo e árduo a percorrer, até alcançarmos nosso destino eterno. Mas, nem depois disso ficaremos descansados. Ainda haverá novas tarefas à nossa espera. Passaremos a eternidade aprendendo e evoluindo. Serviremos  em novos mundos em evolução.

Não existe nenhuma prova de que tudo isso é verdade, assim como não temos provas concretas da existência de Deus na Bíblia. O que temos é a fé. É possível afirmar, em defesa do Livro de Urantia, que ele corrobora a existência de Jesus Cristo, sua vida oculta, vida pública, paixão, morte e ressurreição, com detalhes simplesmente inegáveis. Jesus de Nazaré, ou Joshua ben José, é na verdade Michael, Filho Criador do universo local de Nébadon, realizando sua sétima e última auto outorga, na forma de uma de suas criaturas. Após sua ressurreição e ascensão ao céu, tornou-se o soberano de seu universo Nébadon, junto com a Ministra Divina, ou seja, sua equivalente filha do Espirito Eterno.

Quem tiver interesse em ler esse livro, procure na Internet. Basta digitar no google a palavra Urantia e irão aparecer diversos endereços onde pode encontrar grupos de estudo, palestras em vídeo, textos interpretando partes do livro, mostrando a visão de alguns leitores sobre o livro, depoimentos, enfim, poderá adquirir o livro impresso, poderá baixar a versão eletrônica gratuitamente e começar a conhecer o assunto. Prepare-se para ler bastante, pensar muito, reler muitas partes, pois a leitura é densa e de difícil compreensão em algumas partes. Mas ela nos descortina um novo horizonte sobre os assuntos ligados ao sobrenatural, eterno, religião, vida após a morte e todos esses assuntos.

Segundo dizem os seres encarregados de nos trazer a revelação, que devemos ser alegres, bem-humorados, viver em harmonia. A música é uma manifestação de alto valor perante o cosmos. Sempre nos indagamos como é possível que Deus pode estar em toda parte. Em verdade ele é o sustentáculo da Ilha do Paraíso e jamais se afasta dela. Ao nos conceder um fragmento de si mesmo na forma do Ajustador do Pensamento, ele cria um circuito com infinitos ramos. Por meio dele ele consegue estar em contato constante com os locais mais remotos de toda criação.

Em todo Universo dos Universos, há apenas um único lugar eterno e onde o tempo não existe. Este lugar é a Ilha do Paraíso e é nele que reside o EU SOU, citado por Moisés no Êxodo. Por muito tempo me perguntei o motivo dessa denominação. Um belo dia percebi a razão. Ele não tem passado, nem futuro. É sempre presente. Ele não foi, nem será, apenas É. Essa é a razão de dizer a Moisés que deveria informar ao povo ter sido enviado por EU SOU. Quem estiver pensando em decifrar esse EU SOU, desista, pois ele é o Mistério dos Mistérios. Nossa mente material, limitada, de alcance restrito, é incapaz de abarcar o infinito, o inqualificável.

Décio Adams

decioa@gmail.com

adamsdecio@gmail.com

www.facebook.com/livros.decioadams

www.facebook.com/decio.adams

@AdamsDcio

Telefone: (41) 3019-4760

Celulares: (41) 9805-0732 / (41) 8855-6709

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *